CC-BY-SA from https://commons.wikimedia.org/wiki/File:Wikipedia_editing_workshop_-_Faculdade_C%C3%A1sper_L%C3%ADbero_01.jpg

Traduzido do texto original de Eryk Salvaggio, licenciado em CC-BY-SA

A Wikipédia é fonte de conhecimento para os seres humanos em todo o mundo. É por isso que a campanha Ano da Ciência da Wiki Education Foundation trabalha com aulas de ciências em universidades americanas e canadenses. Juntos, estamos tornando mais claro e abrangente o conhecimento sobre a ciência ao público.

Mas, assim como o conhecimento transcende as fronteiras, o mesmo acontece com a Wikipédia. Por isso, estamos animados para assistir o Ano da Ciência assumir uma vida própria no Brasil.

João Alexandre Peschanski é o Professor da Cásper Líbero de Ciência Política e supervisor de comunicações para uma fundação de pesquisa de São Paulo, FAPESP, trabalhando na Pesquisa, Inovação e Difusão no Centro para Neuromatemática (RIDC NeuroMat) da Universidade de São Paulo. Ele tem guiado uma campanha inspirada pelo Ano da Ciência da Wiki Ed, através do Centro da USP de Pesquisa, Inovação e Difusão (Cepid). A mídia tem apelidado sua iniciativa de “Ano brasileiro da Ciência”.

“Nosso foco tem sido a teoria matemática do cérebro … Nós escolhemos conceitos interessantes em papers que nossa equipe de pesquisa tem produzido, e num esforço colectivo com cientistas, jornalistas e estudantes, criar ou melhorar o conteúdo pertencente à Wikipédia.”

João diz que havia cerca de uma lacuna de 30 anos entre a ciência refletida nas fontes Wikipédia Português, e os desenvolvimentos de ponta sendo feito nesse campo.

A iniciativa brasileira adicionou milhares de palavras sobre temas relacionados com propriedades matemáticas da dinâmica neurais à Wikipédia Português. Por exemplo, eles expandiram o artigo em português sobre a doença de Alzheimer, e temas mais complexos como a lesão do plexo braquial. Eles também criaram a introdução a modelos biológicos de neurônios, e criou um vídeo que explica “Spike sorting” – uma maneira de rastrear e medir as propriedades elétricas das células – que aparece em ambas as edições em português e inglês da Wikipédia.

Em seu modelo, especialistas e pesquisadores trabalham para explicar conceitos para voluntários do Grupo de Usuários Wikimedia no Brasil. Eles vão escrever artigos com base no envolvimento de especialistas. Muitos dos autores são pesquisadores de pós-doutorado.

“Neste momento, somos a maior organização de pesquisa a ter um claro compromisso de divulgar a ciência através da Wikipédia no Brasil. E estamos crescendo: a Universidade de São Paulo acaba de conceder-nos quatro posições de graduação para trabalhar na promoção de um maior envolvimento com a Wikipédia em nosso campus “.

João, ao lado do Wikipedista Residente (Wikipedian-in-Residence) David Alves e do voluntário de longa data Célio Costa Filho, foram aproveitando o Wiki Ed EUA-Canadá Ano da Ciência para expandir o programa em seu próprio país. David é o graduado em jornalismo que começou a editar Wikipédia para um projeto de classe ensinada por João. Ele é agora a primeira pessoa a receber uma subvenção estatal para promover a Wikipédia no Brasil, graças à Fundação de Pesquisa de São Paulo.

“Os pesquisadores fornecem conhecimentos qualificados e técnicos, e nós transformamos o conteúdo para uma forma mais compreensível e clara”, disse Alves.

Estamos animados ao ver que a ideia e as ferramentas que estamos criando para ajudar a levar o conhecimento para além das paredes da sala de aula estão, elas próprias, ultrapassando as fronteiras. O Ano da Ciência na Wikipédia é realmente um fenômeno global, e estamos animados ao ver o trabalho que voluntários Wikipedistas e grupos estão assumindo ao redor do mundo!

logoOpenCon2016

Está aberto até 11 de julho o processo de seleção para participar da edição 2016 da OpenCon, que acontecerá na capital dos Estados Unidos, Washington DC, entre 12 e 14 de novembro de 2016 (veja aqui o anúncio oficial). A OpenCon é uma conferência internacional promovida anualmente pela SPARC e pela Right to Research Coalition, voltada para estudantes, professores, bibliotecários e outros profissionais acadêmicos em início de carreira interessados em acesso aberto, educação aberta e dados abertos.

Seguindo o modelo dos anos anteriores, a programação da OpenCon 2016 começará com dois dias de palestras,  mesas-redondas e oficinas, sendo o terceiro e último dia dedicado a um treinamento em advocacy seguido da oportunidade de se reunir com legisladores, representantes de ONGs e outros tomadores de decisão. Entre os palestrantes das duas primeiras conferências da OpenCon estão Jimmy Wales (cofundador da Wikipedia), Mike Eisen (cofundador da PLOS), e Julia Reda (membro do Parlamento Europeu).

A fim de que os custos de uma viagem internacional não sejam um obstáculo à participação de estudantes e jovens profissionais, os organizadores da OpenCon procuram oferecer bolsas totais e parciais à maioria dos participantes. Por isso, para participar da conferência é preciso passar por um processo de seleção, que procura também garantir a diversidade de participantes em termos de carreira, interesses, geografia, gênero etc. As inscrições devem ser feitas pelo site http://www.opencon2016.org/apply

Também é possível participar à distância do evento pela OpenCon Live. Além da transmissão em tempo real das sessões, os organizadores oferecem uma teleconferência para que os participantes remotos possam conversar entre si e liderar oficinas e discussões virtuais. Já é possível se inscrever para a OpenCon Live no site www.opencon2016.org/opencon_2016_live (essa inscrição não afeta o processo de seleção para o evento presencial).

Para alcançar ainda mais pessoas, a Right to Research Coalition e a SPARC estimulam a realização de eventos satélite, que podem ser promovidos por qualquer pessoa/organização, em qualquer escala. No ano passado, o encontro nacional do Grupo de Trabalho em Ciência Aberta foi realizado em parceria com a OpenCon. Quem se interessar em promover um evento satélite pode obter mais informações no site www.opencon2016.org/satellite.

Mais do que uma conferência, a OpenCon é uma plataforma onde pessoas interessadas na ciência aberta podem encontrar colaboradores. Algumas das iniciativas lideradas por membros da comunidade OpenCon incluem as ferramentas Open Access Button e Dissem.in, o site WhyOpenResearch?, as organizações Open Access Nepal, Open Access Nigeria, Open Access Sudan, Open Access Academy e OOOCanada Research Network, o Open Research Glossary, e pelo menos um artigo científico investigando os impactos sociais, econômicos e acadêmicos da publicação em acesso aberto.

Para mais informações, visite o site www.opencon2016.org, siga a OpenCon no Twitter (@Open_Con ou #opencon) e Facebook, e/ou leia relatos sobre as edições anteriores, em 2014, pela Renata Aquino, e em 2015, por mim. É possível assistir a vídeos das edições anteriores do evento e ter acesso a outros recursos no site www.opencon2016.org/resources.

Direito a estudar
Mais uma boa notícia vinda do Uruguai: no dia 13 de abril, o Senado daquele país aprovou o projeto de lei que atualiza a Lei de Direito Autoral, promulgada em 1937, incluindo a permissão da cópia para uso pessoal, desde que com fins educativos, acadêmicos ou de produção de novo conhecimento.

Atividades já incorporadas ao cotidiano, como pegar um livro emprestado na biblioteca, copiar um trecho de uma publicação ou difundir obras em plataformas virtuais com finalidade educacional, são ainda consideradas ilegais. A aprovação da alteração na lei irá beneficiar não só estudantes, bibliotecários e pesquisadores, mas também o público em geral.

O projeto depende ainda da aprovação da Câmara dos Deputados para virar lei. Enquanto isso, a campanha #derechoaestudiar mobiliza os uruguaios.

Saiba mais sobre o assunto:

Obtiene media sanción la ley de acceso a la cultura y a materiales de estudio

Una iniciativa imprescindible

 

Marcado com: ,

DSC01698

Nos dias 10 e 11 de Setembro irá acontecer na USP um workshop da Software Carpentry no qual será apresentado boas práticas de programação em Python e controle de versão com Git.

Informações detalhadas sobre o workshop e inscrições encontram-se disponíveis em http://rgaiacs.github.io/2015-09-10-usp/.

O UEADSL2015.1 inicia nesta segunda-feira e recebe o público até a próxima sexta. A porta de entrada para a participação, livre e gratuita, é a grade de programação.

Como se trata de um evento online assíncrono e de livre acesso, basta seguir estes passos para obtenção de um certificado de participação, com rubrica da UFMG:

  • a) se ainda não se cadastrou no evento, faça um cadastro no blog (clique aqui);
  • b) acesse a programação (clique aqui);
  • c) os trabalhos estão organizados por dias, ficam em foco 2 dias para otimizar a interação autor-público. Escolha os artigos de seu interesse e acesse-os pelo link presente na programação. Se tiver dificuldade em escolher, pode ler o resumo clicando no título do artigo, página da qual você pode voltar à programação ou ir direto ao artigo no blog (maiores detalhes aqui e aqui);
  • d) após a leitura, se quiser interagir com o autor, basta fazer login no site (clique aqui) e deixar seus comentários. Na hora de salvar, não se esqueça de afirmar que não é spam e de pedir que o site te avise sobre novos comentários, de modo que você possa acompanhar a discussão dos artigos escolhidos com maior facilidade;
  • e) se algum artigo chamou sua atenção, se você gostou muito dele, deixe seu voto (aqui) para indicá-lo para receber menção honrosa.

Todos os participantes com pelo menos 3 comentários em propostas diferentes recebem certificado de participação.

SOBRE O UEADSL2015.1

O Congresso Nacional Universidade EAD e Software Livre deste primeiro semestre de 2015 está bastante diversificado em muitos aspectos: conta com autores de 8 estados brasileiros, comissão científica também interestadual, participação ativa do CAED da UFMG, 12 temas diferentes e turmas de 3 professores, além dos participantes externos e dos convidados.

Os temas abordados no UEADSL2015.1 podem ser assim agrupados:

  • temas centrais (universidade, EAD e software livre): 16 comunicações e 1 conferência de encerramento
  • Letramento, literatura e tecnologias digitais: 13 comunicações e 2 conferências de encerramento
  • Ciência aberta, cultura livre e tecnologias livres: 6 comunicações e 2 conferências de encerramento

Dos trabalhos submetidos para avaliação, 69% concluíram todas as etapas preparatórias, sendo aprovados para apresentação no evento. O gráfico (neste link) mostra a evolução da relação entre porcentagem de trabalhos apresentados/submetidos desde o início do evento, com uma diminuição de apresentados em virtude de um maior controle de qualidade no processo didático de acompanhamento dos artigos.

Clique na imagem para uma versão maior</p> <p>Nome:	         apresentadas-submetidas.png<br /> Visualizações:	1<br /> Tamanho: 	14,4 KB<br /> ID:      	59697

Em 2015.1, 94% dos trabalhos que chegaram à etapa final alcançaram nível suficiente para submissão aos anais, mostrando grande engajamento dos autores na produção de trabalhos de qualidade. Os Anais do UEADSL2015.1 devem ser lançados até o dia 19 desta semana.

O UEADSL, um recurso educacional aberto, dado seu caráter didático, é um evento totalmente online e sem custos para os participantes, promovido pelo grupo Texto Livre/Laboratório SEMIOTEC, da FALE/UFMG, desde 2010. Apoio: CAED/UFMG

fonte: https://under-linux.org/entry.php?b=4448

Marcado com: , , , , , , , , , , , , , ,

A plataforma +SCIENCE tem como objetivo intermediar o contato de professores do ensino médio da rede pública de ensino, com interesse no desenvolvimento de atividades de pesquisa em suas escolas, com estudantes de mestrados e doutorados apoiados pelo Governo Brasileiro.

Funciona da seguinte maneira: os professores interessados preenchem o formulário online com os dados de sua escola, grupo de alunos envolvidos e principais interesses científicos, juntamente com uma breve proposta de projeto de pesquisa de, no máximo 3 páginas, contendo título, grupo de trabalho (alunos e outros professores), área de concentração, introdução, objetivos, metodologia, resultados esperados, e a bibliografia básica. Já os estudantes de mestrado e doutorado interessados devem preencher o formulário PhD Action com seus dados acadêmicos e principais áreas de atuação. É valido lembrar que, para a inscrição é necessário confirmar a disponibilidade de 1 hora semanal para apoiar os grupos de pesquisas das escolas públicas brasileiras. 

A equipe responsável por selecionar as propostas das escolas entra em contato com os alunos de doutorado para que pontos de sinergia sejam identificados e assim possam juntos iniciar os trabalhos de montagem e execução do projeto.

A iniciativa surgiu da intenção de alguns estudantes em dar uma contrapartida direta de sua condição de bolsistas ao sistema educacional público brasileiro, levando em conta que um dos pilares sobre o qual se assenta a universidade pública brasileira é a extensão, elemento indissociável da pesquisa e do ensino acadêmicos. Até o momento, a plataforma dispõe de cerca de 40 horas disponíveis, que correspondem a 40 alunos que se dispuseram a ajudar e orientar os projetos, oriundos e diversas universidades, tais como: Universidade do Porto, Universidade do Minho, Universidade de Aveiro, University College Cork, Universidade de Alberta, Universidade de Lisboa, Universidade Federal do Paraná, Dublin Institute of Technology, Universidade de São Paulo, Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho, Universidade de Glasgow, Florida Institute of Technology, Universidad del País Vasco, Aix-Marseille Université, University of Minnesota, Cornell University, Texas Tech University, Tulane University e Universidade de Santiago de Compostela. Já são 44 pesquisadores voluntários cadastrados e duas escolas cearenses participando: a Escola de Ensino Médio de Irauçuba, em Irauçuba, e a Escola Estadual de Educação Profissional José Ribeiro Damasceno, no Trairi. Além disso, três escolas do Rio Grande do Sul entraram em contato para mais informações sobre o projeto.

O Brasil tem um número cada vez maior de mestres e doutores, com pesquisas e produções científicas gerando impacto na indústria, na medicina, por exemplo, mas isto não necessariamente tem reflexos no ensino público, pois é pequeno o número de profissionais que se voltam para a atuação nas salas de aula. A escola é a práxis, é onde o lema “Pátria educadora” ganha corpo, onde o destino social e profissional dos jovens é muitas vezes definido. Por isso a intenção de atuar diretamente com esse público.

Licença CC-BY; Fonte: https://flic.kr/p/r4gUDn
Open Con 2015

Estão abertas até 22 de junho as inscrições para interessados em participar da OpenCon 2015, que acontece entre os dias 14 e 16 de novembro em Bruxelas, Bélgica. A OpenCon é uma conferência voltada para estudantes e profissionais em início de carreira interessados/envolvidos na promoção do acesso aberto, da educação aberta, e dos dados abertos, na teoria e na prática – a programação inclui palestras, discussões, oficinas, hackatons e até um advocacy day com visitas ao Parlamento Europeu e outros órgãos (leia mais em nosso post anterior sobre o evento).

Bolsas integrais são oferecidas a todos os participantes que não podem arcar com os custos da viagem. Por causa disso, a participação é limitada. Interessados em uma vaga na conferência devem preencher até 22/6 o formulário disponível no endereço opencon2015.org/attend. As inscrições serão avaliadas em duas etapas, e os resultados finais serão divulgados até o dia 21 de julho. Para saber mais sobre o processo de inscrição, leia a FAQ.

A OpenCon é organizada pela Right to Research Coalition, SPARC, e um comitê formado por instituições e indivíduos de todo o mundo (eu, inclusive). Mais do que um evento anual, a intenção é construir uma comunidade – mesmo quem não conseguir ir a Bruxelas pode se inscrever na lista de discussão, participar das chamadas e webcasts mensais, ou até mesmo organizar eventos-satélite locais.

Divulguem e participem!

Prezad@s,

A organização do XII Evidosol/IX Ciltec-online (XII Encontro Virtual de Documentação em Software Livre e IX Congresso Internacional de Linguagem e Tecnologia online ) convida a todos para suas atividades, que se iniciam nesta próxima segunda, 01/06, e vão até 03/06/2015.

Nesta edição do evento, você poderá assistir e interagir por meio das seguintes atividades:

Conferência Internacional: “A morfogénese da metropolização do mundo” – Isabel Marcos (Universidade Nova de Lisboa – Portugal) – 01/06/2015, 16h (Brasília). Local: Chatslide

Conferência Internacional: “Facebook: Identidade e (In)Segurança? Os Perigos da Linguagem Silenciosa” – Vanda Sousa (Universidade Nova de Lisboa – Portugal) – 02/06/2015, 16h (Brasília). Local: Chatslide

Conferência Nacional: “Algumas razões: por que utilizar e ensinar sobre software livre?” – Fátima Conti (Universidade Federal do Pará – Brasil) – 03/06/2015, 16h (Brasília). Local: Chatslide

e ainda muitas outras comunicações de pesquisas, relatos de experiências e críticas que podem ser conferidas na programação: <http://evidosol.textolivre.org/papers/2015/pub/>.

O evento é totalmente online, por meio de interações escritas em chats e fóruns, e fornece certificados de participação com carga horária. A inscrição pode ser feita nesta página até 01/06/2015.

Este congresso é organizado pelo Grupo Texto Livre e apoiado pela Faculdade de Letras da Universidade Federal de Minas Gerais (FALE/UFMG), pelo Instituto de Ciências Exatas, Naturais e Educação da Universidade Federal do Triângulo Mineiro (ICENE/UFTM), pela Universidade de Uberaba UNIUBE) e pelo projeto Kósmos, da Universidade Federal de Santa Maria (UFSM).

Contamos com sua participação nos diálogos propostos neste evento, e também na divulgação deste convite!

atenciosamente,

Organização do Evidosol/Ciltec-online

http://evidosol.textolivre.org

evidosol@gmail.com
​​

Texto publicado à pedido da autora, Sarah Schmidt.

jh

Jovens de Campinas entre 13 e 16 anos que se interessam por tecnologia e programação podem se inscrever para participar do projeto Jovem Hacker – Edição Cultura Digital até o dia 30 deste mês, por meio do site http://jovemhacker.org/. A formação gratuita é composta por oficinas sobre lógica de programação, software livre e desenvolvimento de programas e jogos. Algumas linguagens como HTML, CSS, Python e JavaScript serão trabalhadas com os alunos.

A proposta dos encontros é a de que os jovens, após participarem das oficinas iniciais, criem seus próprios programas com a orientação dos programadores que ministrarão as aulas. Ao final dos encontros, tais criações serão divulgadas para a população.

Os jovens interessados devem preencher uma ficha de cadastramento por meio da página http://jovemhacker.org/inscricao. As oficinas vão ocorrer sempre às quartas-feiras, de 13/5/2015 e 25/11/2015, das 13h30 e às 17h30, no CDI-Campinas (próximo ao Hospital Mario Gatti). Os participantes terão direito a vale-transporte e lanche durante o evento. Atenção: somente receberão certificado de participação os alunos que tenham menos de duas faltas.

Espera-se que sejam desenvolvidos programas e ações que beneficiem a própria sociedade, uma vez que um dos objetivos do projeto Jovem Hacker é auxiliar na formação de uma geração que seja autônoma tecnologicamente e que, consequentemente, esteja melhor preparada para definir os rumos do desenvolvimento tecnológico na cidade e no País.

Baseado em alguns princípios da chamada “Ética Hacker” como uso de software livre, compartilhamento livre de códigos de programação e trabalho colaborativo, o projeto pretende tornar os participantes mais conscientes sobre o funcionamento de programas e dispositivos digitais com os quais eles lidam todos os dias, mas muitas vezes não entendem seus mecanismos e funcionamento.

Desta forma, pretende-se que os participantes se tornem “tinkerers” ou “fuçadores” que possam entender os princípios dos códigos de computadores, personalizar, modificar e criar em cima de códigos e programas existentes.

O projeto Jovem Hacker é uma iniciativa do Núcleo de Informática Aplicada à Educação (NIED) da Universidade Estadual de Campinas (Unicamp) e do Coletivo Revoada.

Somente duas cidades foram contempladas com o Edital na área de cultura digital e Campinas está entre elas

O programa Jovem Hacker – Edição Cultura Digital foi contemplado pelo Edital nº 33/2014, “Concurso de apoio a projetos especiais – moda, gastronomia, artesanato e cultura digital – no Estado de São Paulo”, do Programa de Ação Cultural (Proac) da Secretaria da Cultura do Governo do Estado de São Paulo.

Além de Campinas, apenas mais uma cidade foi contemplada na categoria de cultura digital: Cananéia. O resultado do edital pode ser acessado aqui: http://www.cultura.sp.gov.br/StaticFiles/SEC/edital/33_rf_14.pdf

O projeto pioneiro nasceu em Campinas: uma experiência piloto ocorreu no primeiro semestre de 2014, quando uma turma formada por dez pessoas foi selecionada. Os jovens trabalharam com a linguagem Scratch e cada participante desenvolveu um jogo como produto final. Os jogos criados por eles podem ser conferidos no link http://jovemhacker.org/jogos-desenvolvidos-pela-1a-turma/.

Iniciaram hoje as avaliações dos trabalhos recebidos pelo UEADSL provenientes de 8 estados brasileiros: Espírito Santo, Goiás, Minas Gerais, Pará, pernambuco, Piauí, Rio de Janeiro e Sergipe.

Este Congresso Nacional de caráter didático mostra mais uma vez sua força como recurso educacional aberto cujo principal propósito é trazer a público debates que, tradicionalmente, ficariam restritos ao espaço da sala de aula. Ao abrir essa discussão o evento não só convida à discussão pessoas normalmente dela excluídas como também enriquece o próprio debate na sala de aula.

No presente semestre, além dos já esperados autores contribuintes independentes, o evento conta com a participação de estudantes de graduação, pós-graduação e membros de grupos de pesquisa. Os principais temas submetidos foram Cultura Livre, Letramento Digital, Universidade e EAD e Universidade e Software Livre.

Cabe também destacar a Comissão Científica com membros de diversos estados brasileiros. O UEADSL é um evento totalmente online e sem custos para os participantes, promovido pelo grupo Texto Livre/Laboratório SEMIOTEC, da FALE/UFMG, desde 2010.

fonte: https://under-linux.org/entry.php?b=4286

Marcado com: , , , , , ,